Posts Tagged 'britney spears'

Coluna: Konichiwa, bartender #3

jorgeUma verdadeira balada bacana, que foi feita pra durar e pra gente contar histórias sobre ela depois, tem música boa, bebida, gente bacana… e personagens. Sabia?

Na época em que eu frequentava o Grind, por exemplo, tinha vários personagens. Tinha a menina louca que não lembro o nome – Gutierrez deve lembrar – que fazia um semi-strip-tease no palquinho toda vez que tocava ‘Vogue’. Levantava o vestido e tudo, pagava calcinha, enfim. Tinha também a Natália, uma menina que pintava o olho bem de preto – ela tinha uma amiga bee cabeluda que ficava correndo atrás dela a noite inteira gritando “NATÁLIA! NATÁLIA!”. Foi assim que a gente ficou sabendo o nome dela. A Natália era bem doidinha, alguém sabe por onde ela anda? E teve o cara que era do teatro que a gente perguntou: “Cê é DO TEATRO?” e ele respondeu “Sou do teatro da vida, por quê?” HAHAHA Resposta maravilhosa, né?

Dentro de mim, queria muito que o Vitor Fasano fake que foi na Beyonça Edition da Balada Mixta fosse um dos personagens da nossa baladinha quinzenal, mas ele não apareceu na última. Só que teve um rapaz que apareceu, e que a gente já tinha ficado chocado com ele na edição #0 porque ele dançava horrores e fazia PONTE no meio da música. Isso mesmo, PONTE, aquela que você encosta a mão no chão que fica às suas costas. A gente chamava ele de Mini Lu Ramos porque ele dança pencas que nem o Lu, mas eis que descobrimos que ele tem nome, sobrenome, apelido próprio e disse que tava “Bélgica” quando eu pedi pra entrevistá-lo. Com vocês… Rafael Bacarolo, o primeiro personagem da Balada Mixta!

Ficha técnica:
21 anos
Estuda Letras, Português-Francês, mas quer moda desde pequeno e faz croquis.
É Libra com ascendente em Touro – segundo ele, duplamente regido por Vênus, portanto supersexual.
A sua primeira coleção quando for estilista pode ser inspirada em Gaudí. Ele planeja viajar pra Barcelona.
E se nele não fosse ele, seria… uma Helena do Maneco!

balada_mixta_01__273

Você aprendeu a dançar tipo autodidata ou já fez aula de alguma coisa?
Sim, sou autoditada. Em puta&viado! Mas o requebrado eu aprendi em casa, minha mãe desde menina dançava na casa dela, aquelas festas do interior, e música Disco… Samba aprendi com ela e deixo muita mulata no chão!

Qual é a melhor música pra dançar hoje na sua opinião?
Então, a música que eu mais amo dançar é ‘Diva’, que dificilmente toca nas baladas por ser muito black e por ‘Single Ladies’ ser mania mundial. Se fosse DJ, Diva seria a minha marca. Brinco sempre que, quando toca, no outro dia é “só no dorflex, só no dorflex”.

Conta um momento que você gosta de lembrar das Baladas Mixtas anteriores!
Acho que lembro com mais carinho da primeira. Cheguei com uma calça de cintura alta toda de azulejo do Sommer e minha marca pessoal, o óculos Marc Jacobs vermelho. Foi só começar as músicas e eu a dançar que já me senti em casa. Sou alto, magro, chamo atenção pelas roupas que uso: minishort, legging etc., e quando comecei a dançar foi um estado de prazer indescritível. Já na última Balada Mixta aconteceu uma coisa muito engraçada: simulei sexo na mesa ao lado dos DJs ao som de ‘3’, da Britney. Ficou na memória porque simulei com uma MULHER!

Tem um apelido? A gente te chama de mini Lu Ramos porque você dança loucamente que nem ele, mas seria melhor a gente saber o seu apelido real. haha

Que fofo. Digo que Lu é meu pai, sem ele saber, pois ele ganhou a primeira Batalha de Dança do Glória e ele e a Jana foram jurados quando ganhei a 3ª. Eu e o Lu sentimos a música, é esse o ponto… Se quiser AHAZAR na balada, sinta a música! Sinta ela dentro de você e com um pouco de vodka você dançará! Quanto ao apelido: sou conhecido como Rafael Bacarolo, o Bacarolo é sobrenome da minha bisa que adotei como homenagem, desde os 15. Então às vezes sai Bacarolo, Boca de rola, RB… Na USP é queen, deeva, puta, Rafa Puta, só não me chame de Berenice que eu não atendo, o resto OK… Tem algum apelido para mim?!
Bom, Bacarolo, vou te chamar de Baca porque é mais curto, mais prático e fica mais íntimo! Bjs, até quinta – Katylene xpecial edixiooon! E o Mauro Borges, gente? Saudades de ver aquela dancinha!! Cês já viram? Imperdível!

Jorge Wakabara adora fazer entrevistas e também se esfregou com uma mulher na última Balada Mixta.

Advertisements

Fotos: Balada Mixta #2 – Mari Di Pilla

Na ausência de nosso fotógrafo oficial, o Marcelo Fubah, confirmadíssimo pra nossa próxima edição, a Mari Di Pilla quebrou um super galho e foi nossa fotógrafa na Britney Edition da Balada Mixta! Valeu, Di Pilla!

DSCN1621

DSCN1657

DSCN1622

DSCN1659

DSCN1623

DSCN1662

DSCN1705

DSCN1663

DSCN1706

DSCN1664

DSCN1708

DSCN1671

DSCN1726

DSCN1673

DSCN1711

DSCN1689

DSCN1707

RSCN1700

DSCN1712

Balada Mixta #2: Britney Edition – 08/10

Vamos começar essa brincadeira gostosa?

Pra muitos, “semana quente” é sinal de coisa ruim e “semana fria” sinal de coisa boa. Pra gente é o contrário: “semana quente” é sinal de coisa muito boa. É sinal de quinta-feira bafônica com Balada Mixta. E essa quinta tem!

mixtaflyer#2

As sextas-feiras de ressaca já começam a ficar tradicionais com a terceira edição da festa mais comentada na mídia nos últimos tempos. Essa semana fomos matéria do Guia do Estadão, vocês viram?

Para a edição #2, faremos uma o-menage para a Britney! Uhum, it’s Britney Edition, babe! No line up abre com nossa residente mensal, a musa de todas as musas: Katylene. Sim, ela de novo! Porque em balada que dá certo a gente não mexe, néam? E o set da Katy é um dos principais comentários de todas as sextas pós-Mixta!

Jorge Wakabara, editor do blog da Lilian Pacce, também integra a escalação desta edição. O Jorge não é só colunista do blog, ele também é super amigo e já figurinha carimbada da festa. Diz que tem gente que vai pra Balada Mixta só pra ver o Jorge. E ele cortou o cabelo essa semana, tá lindo, e não da pra perder o set pop dele! (Jorge, traz Os Princesa de volta!!!).

Quem fecha o line up desta edição é o D.U.I., sigla para “Driving under the influence”, duplinha amiga formada pelas fashionistas Ju Muñoz e Gabi Pacheco. A Ju é uma das maquiadores mais respeitadas de São Paulo, trabalhou como assistente de nomes incríveis como André Gagliardo e hoje bomba na carreira solo. E a Gabi não fica atrás: ex-Chic e editora de moda do Vírgula, hoje arrasa nas social medias (oi hype!) pela agência Cubo.cc.

Além dos DJS convidados, temos os residentes Pedro Beck e Poms. O primeiro abre a pista da Funhouse e o segundo fecha. Ou seja, tem DJ pra bater o picumã de 23h de quinta até seis da manhã de sexta! Ah, e tem a surpresinha dessa edição, lóóógico. Depois de strippers, Twitter elegante e máscaras do Zé Mayer, acredite, você não vai querer perder a próxima surpresinha!

Lista amiga (R$ 10) aberta até às 19h de quinta-feira: baladamixta@gmail.com

DJs convidados

Katylene (Katylene.com)
Jorge Wakabara (Lilian Pacce)
D.U.I. (Gabi Pacheco e Ju Muñoz)

DJs residentes
Pedro Beck
Poms

Confirme sua presença AQUI!

Se joga com a gente? Muah!

Balada Mixta @ Funhouse
Rua Bela Cintra, 567
A partir das 23h

‘3’, o novo single da Britney

Saiu hoje nos EUA o novo single da Britney. ‘3’ irá promover a sua coletânea comemorativa pelos dez anos de carreira e chega às lojas em novembro.

Confere aí embaixo e arrazan na coreô pra próxima Balada Mixta!

Coluna: #mixedfeelings #0

lu_obiniskiQuando recebi o convite do Pedro Beck pra integrar o time de colunistas (oi, na verdade é uma dupla, eu e @wakabara) aqui, fiquei insegura. Eu já sou insegura por natureza, mas queria ter certeza que o Pedro tinha me chamado porque gosta de mim como mulher heterossexual (haha), e não por amizade.

Aí que foi justo essa insegurança que me deu inspiração pra essa primeira coluna. Eu realmente tô cansada de gente que faz carão o tempo todo – ou, pior, tenta sem sucesso. acho que todo mundo tem direito de se produzir e sair de casa achando que está LINDA de vez em quando (ou sempre), contanto que isso não seja sua única preocupação na vida (#ficadica). E sentia cada vez mais falta de uma festa onde todo mundo pudesse ir pra se divertir. De jeans e camiseta ou montado, mas que a preocupação geral não fosse ficar ‘medindo’ a roupa dos outros.

Porque, assim, eu sou essa pessoa. Não tô sempre linda, com a melhor roupa, com um look incrível, com make perfeito. Mas eu leio (menos do que gostaria), assisto filmes novos e antigos, saio pra comer com amigos, vou a exposições de arte e OUÇO MÚSICA indie e POP, que ninguém é de ferro. E prefiro ocupar meu tempo dessa forma. Quando eu cheguei na Balada Mixta (com look incrível, decretado por Jana Rosa, porque eu tava numas de me arrumar), rolou um ‘mixed feelings’ (no pun intended) se o povo ia ficar no carão ou ia se jogar como se não houvesse amanhã. Ainda bem que todo mundo escolheu a segunda opção, cantou com força hits do Backstreet Boys e não ligou que a Katylene tocou três Britney em menos de uma hora. Eu amei. Mesmo acordando atrasada no dia seguinte e passando o dia feito zumbi.

E espero que a Balada Mixta fique cada vez mais assim. Povo alegre, cantando e dançando pelo simples prazer de ser feliz, voltando pra casa antes do que gostaria, porque ainda é quinta, mas não reclamando da ressaquinha na sexta. Porque se divertir cansa, mas vale a pena. Carão só cansa.

Luciana Obniski é jornalista e, no dia da foto, estava montada.


Balada Mixta

Mensalmente no Estúdio Emme (Pedroso de Morais, 1036, Pinheiros). MUITA música POP! Mande seu nome para a lista amiga (R$ 25) e venha se jogar na pista com Katylene, Pedro Beck, Pomada e seus convidados: baladamixta@gmail.com